Outras Saudades


"Aonde se encontram as suas saudades e como seus afetos foram/são impactados durante o período de isolamento?"

Aqui apresentamos a colaboração de 12 artistas de diversas cidades do país em uma conversa com nossas saudades, expandindo este diálogo para além de nós.

Imagem a contra-plano em preto e branco, onde aparece os ombros, o pescoço e o queixo de uma mulher olhando para cima, atrás dela uma floresta e o céu com nuvens

o corpo. a pele. atravessada por aromas que rememoram vidas passadas. paralelas. subterrâneas. sons que tomam o vulto de um fantasma. aquela melodia era de quando mesmo? fragmentos de algo que fomos. que fui. eu e você. nós. nunca mais feitos no corpo que se erradica. nada mais familiar. raízes dançando fora da terra. o que sobra? mãos e pernas que não compreendem seus ossos. a fuligem e o orvalho das plantas de manhã. ter com as plantas. como ter com irmãos. acariciar as plantas. como acariciar os irmãos. o tempo florescendo em sua paralisia continua. quando retornaremos ao ano em que estivemos juntos?


Julia Bicalho Mendes - Liberdade (MG)


Gabriela Alves - Juiz de Fora (MG)


Mulher vestindo casaco azul e turbante amarelo olhando para fora da janela, à frente dela uma manta de crochê colorida, atrás imagem de Hazrat Inayat Khan

Bárbara Stella - Aiuruoca (MG)


Desenho de linhas pretas de um corpo, abaixo escrito "corpo segredo"

a sensação de morte, como essa vírgula infinita, de manhã, 08:04, bom dia, pensamentos áreas, a boca seca escorre e corre na ânsia do teu encontro, encontro, saudades, jantamos juntas todas as noites


e nos influenciamos, como tá sendo essa influência? você ainda está aqui? não te sinto mais. cara de cigana, calafrios que chegam a rasgar minha espinha, o perigo deste silêncio que só nos distancia cada vez mais, perceber? o amor não está mais presente amor. suar deixa as pessoas distraídas demais, como se estivéssemos perdidas sabe? me sinto perdida á tua distância, consultar a saudade em 15 minutos e mais 15 minutos e mais 15 minutos e mais 15 minutos , até quando permanecer nesses segundos, minutos e horas ?olhos consumidos de sono, olhos consumidos de saudades, virgula, ponto, manhã de não esperança, olhos e olhos, boca seca, sensação de morte novamente, fim e inicio de ciclo novamente, a vida, ainda é tempo de sentir? sinto medo de permanecer neste sentir, amar dói, sentir dói, aí que tá o perigo do silêncio, os nossos poros expostos de suor nos deixou distraídas cigana vem e volta, cigana vai, cigana nômade, calafrio chega novamente, meu olhos estão consumidos de sono nesta quarta feira, perdida no tempo, gosto com gosto, dor e dor, sabor se transforma, estrada desvia, estrada a direita, estrada a esquerda, 360 graus, futuro nos engana cada vez que passa , tempo grita no peito e nos confunde no silêncio, me afasto sinto, rasgar a espinha e recomeçar, morte e virgula, distância, minutos acabam rápido, os números correm , falta 20 segundos, agora 15 agora 11 agora 09 segundos agora 04 segundos e agora o que nos resta amor?

Rafaelle Artof Fortaleza (CE)


Fotografia de rua de uma casa com muso de pedras e paredes cor de areia, um cachorro apoia a cabeça em uma janela olhando para o movimento que passa.

Mikael Trindade - Aiuruoca (MG)



saudade do sol

atrás de suas pernas

da canga alçada feito bandeira

desenhando o vento

daquela pedra-montanha

ancorando nosso beijo

ou dos nossos corpos

arranhando o céu

na maior cidade da América Latina

cercadas pela floresta construída a dedos

cada espécie

cada folha

o guia nos explicava

mas era nós o que interessava

eu vi seu sorriso beijar o céu

e as luzes da cidade

acenderem

como a chama

que crescia

feito fogueira

em meu peito

- se não for amor eu cegue -

e a pupila acesa do seu olho disse love.


Juliana Bueno - São Paulo (SP)


Montagem fotografica, no fundo foto em preto e branco de rosas brancas, à frente pernas femininas cruzadas com um grafismo preto sobreposto

Tatianny Araújo - Rio de Janeiro (RJ)


Aprender a suspensão


Calí Boreaz - Rio de Janeiro (RJ)



SOLILÓQUIO DA SAUDADE


Sinto-te

Sinais sorrateiros,

Silenciosos.

Sazonais.


Saudade soterra

Sentimento severo.

Sedenta,

Surrupio-te.


Saboreio sua seiva,

Sonífera.

Selo sedutor,

Saliente.


Seu semblante singular

(sou satélite secreto)

Serve-me sonhos

Sublimes.


Gabriela Fazuna - São Paulo (SP)


Fotografia em pinhole preto e branco de uma feira livre em Vila Mariana SP - Projeto Rabisco - Natalia Lemos
Fotografia em pinhole preto e branco de uma feira livre em Vila Mariana SP - Projeto Rabisco - Natalia Lemos
Fotografia em pinhole preto e branco de uma feira livre em Vila Mariana SP - Projeto Rabisco - Natalia Lemos

Uma feira livre bem a minha porta

fotos em pinhole - papel fotográfico - revelação manual

maio de 2021.

Vila Mariana/SP/BR

Natalia Lemos, Projeto Rabisco - São Paulo (SP)


Saudade do tempo de cada coisa. Do tic tac das multidões emocionadas. Das salas cheias e das conversas furadas.


Saudade dos encontros em espaços tempos infinitos, da correria da rotina, da tranquiladade da certeza e do instante na presença do outro.


Vitor Fernando - São José dos Campos (SP)


Tenho um livro que diz que saudade é "o momento que tenta fugir da lembrança pra acontecer de novo e não consegue". Não consegue e passa a viver numa janelinha. Uma janelinha no horizonte que não posso tocar. Vejo um jardim colorido, um jardim do meu imaginário, carregado de pés de lembranças de coisas que nem sei se aconteceram. Jardim da saudade de quem vai, de quem fica, de braços, passos, gente, vida. Cuido dessa terra com afeto, mas sempre longe do alcance das mãos.


Júlia Fregadolli - Juiz de Fora (MG)


11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo